trânsito

Após nove meses, obra na Avenida Borges de Medeiros ainda não foi concluída

Foram sucessivas reprogramações, mas o resultado já agrada moradores do Bairro Salgado Filho

Foto: Renan Mattos (Diário)
Canteiro central da via no Bairro Salgado Filho deverá receber grama nos próximos dias

A obra de duplicação e macro e microdrenagem da Avenida Borges de Medeiros, no Salgado Filho, ainda não foi concluída. De acordo com a prefeitura, o serviço, que tinha previsão de ser concluído nesta semana, está em fase final. Ainda restam trabalhos a serem concluídos depois de quase nove meses de máquinas na pista. Conforme informações da Secretaria de Estruturação e Regulação Urbana, devem ser feitas a colocação da grama no canteiro central, a verificação da condição do asfalto.

Transformador e fios de alta tensão pegam fogo em Santa Maria

Também será feita a recomposição das calçadas que foram reduzidas para dar espaço às vagas de estacionamento, e a sinalização na via entre a Rua Padre Manoel da Nóbrega e o meio da quadra formada pelas ruas Fernandes Vieira, Inspetor Goulart e Aristides Lobo. Os serviços devem ser finalizados ainda neste mês, conforme o Executivo.


Em 14 de junho, foi dado início ao processo de pavimentação asfáltica, o que deixou a avenida parcialmente bloqueada por alguns dias. Segundo o aposentado Airton Krüger, 64 anos, morador do bairro há mais de 20, o problema dos alagamentos sempre existiu, mas que, com as melhorias, já é possível ver a mudança no local:

- Recentemente, tivemos algumas chuvas fortes na cidade, e o sistema de drenagem e escoamento conseguiu dar conta das águas. Isto já é um avanço - avalia o morador.

O empregado público Ronaldo Domingos dos Santos, 54, evitava cruzar pela avenida ainda nos estágios iniciais da obra, uma vez que o caminho estava com maquinários e buracos no chão. Com a situação já contornada, ele voltou a frequentar as lojas da região e já pensa no quê mais pode ser feito na via

- O serviço está excelente com o asfalto ao longo da avenida, mas acredito que seja necessário pôr redutores de velocidade para evitar acidentes - comenta Santos.

*Colaborou Gabriel Marques

Internet

wpp.png