balanço

VÍDEO: roubos e furtos registram queda nos últimos cinco anos em Santa Maria

Apesar da redução dos indicadores no período, houve aumento de roubos a veículos e residências entre 2017 e 2020 em Santa Maria

18.429
Foto: Foto: Pedro Piegas (Diário)

Foto: Pedro Piegas (Diário)

Os índices de roubos (crime com ameaça) e furtos (sem violência), em Santa Maria, mostram uma queda nos últimos cinco anos, de acordo com os dados da Polícia Civil e da Brigada Militar. As maiores quedas estão relacionadas a roubos a estabelecimentos comerciais que caiu 79% e roubo e furto a pedestres que diminuiu em mais de 45%, desde 2016. Por mais que em 2020 os índices de roubos e furtos a residências tenha tido um aumento se comparados a 2019 - os crimes seguem em queda na curva em um comparativo com 2016. 

Se comparado apenas ao ano de 2019, o roubo a estabelecimentos comerciais caiu de 115 para 69 (- 40%). Porém, os furtos tiveram um aumento de 44%. Já o roubo de pedestres, de 1041 diminuiu para 569, ou seja 45% a menos de um ano para o outro. O mesmo se analisa dos índices de furto a pedestres que caiu de 62, no ano passado, para 47 em 2020. 


Uma mudança metodológica na atuação da Brigada Militar através do programa Avante, iniciativa do RS Seguro, são os motivos que o comandante do 1º Regimento de Polícia Montada (1º RPMon), tenente-coronel Cléberson Braida Bastianello, associa a essa redução:

- Esses resultados são frutos do nosso trabalho. Nós melhoramos a aplicação do policiamento com o direcionamento dos recursos a partir de meios humanos e materiais de uma aplicação de metodologia cientifica onde nós conseguimos aplicar os recursos onde as demandas eram maiores, com um melhor direcionamento do efetivo.

Veja abaixo a média entre os dados da Brigada Militar e da Polícia Civil dos crimes de furtos em Santa Maria no ano passado:


ANO ATÍPICO
Em relação ao ano atípico devido à pandemia do coronavírus, o comandante explica que não há como negar que outros diversos fatores, além da atuação do efetivo, contribuem como esses resultados:

- É evidente que a pandemia influenciou nesse fator. Uma vez que, em determinado período, nós tínhamos uma diminuição de pessoas em via pública. Com o fechamento dos estabelecimentos comerciais mais cedo, as pessoas tendem a circular menos em horários e locais críticos relativos a esses delitos.

Os resultados também são motivo de comemoração para o delegado regional Sandro Meinerz. Ele explica que desde maio de 2019, a Polícia Civil e a BM montaram um planejamento, ainda mais eficaz, para trabalhar, cada vez mais, na prevenção e na elucidação dos roubos na cidade, principalmente no roubo a pedestres. 

PRF apreende seis toneladas de maconha em carreta em Fontoura Xavier

Ainda conforme Meinerz, para continuar combatendo os autores de tais crimes, além do trabalho de abordagens em via pública em parceria com a Brigada Militar, foi montado um banco de dados audiovisual, onde é possível identificar a imagem e a voz do investigado, o que trouxe muitas respostas as investigações. 

- Há um universo pequeno de pessoas roubando e furtando, mas praticando muitos roubos e furtos. Toda vez que nós conseguimos identificar o autor do delito, nunca é de um roubo único, sempre é possível identificar a prática de cinco ou mais outros roubos praticados pela mesma pessoa. Com isso, nós conseguimos tirar essa pessoa de circulação com a prisão preventiva - relata Meinerz.

Ação flagra mais de 200 pessoas aglomeradas no Bairro Rosário

Veja abaixo a média entre os dados da Brigada Militar e da Polícia Civil dos crimes de roubos em Santa Maria no ano passado:

PRINCIPAIS ALVOS
Conforme o delegado regional, o celular é um dos objetos de maior desejo dos criminosos. O fato de andar com o aparelho, distraidamente, em via pública, chama a atenção dos ladrões que rondam as pessoas esperando a oportunidade de praticar o roubo ou furto.

Com a identificação dos autores dos roubos, Meinerz explica que o tralho segue com a identificação dos receptadores, já que há um mercado paralelo de pessoas que compram produtos frutos de roubos e recolocam em circulação como a revenda pelas redes sociais. 

-  Nós fizemos um trabalho em cima disso e conseguimos apreender muitos objetos. Conseguimos, também, identificar e responsabilizar muitos receptadores por isso.

Jovem é atacada e ferida a faca pelo ex-companheiro

Com isso, o delegado fala que o somatório da pandemia, com o trabalho da investigação de inteligência, planejamento entre as instituições da Polícia Civil e da Brigada Militar, foram determinantes para que essa resposta acontecesse significativamente no ano que passou. 

O delegado ainda explica que mesmo com o acréscimo de 34% no roubo a veículos - de 24 em 2019 para 27 em 2020 - o resultado deve ser comemorado. Já que Santa Maria é a cidade com a sexta maior frota veicular do Estado e que, se comparada a outras cidades do mesmo porte, como Pelotas, os índices são muito baixos. 

COMBATE A FACÇÕES 
Para o coordenador do Núcleo de Segurança Cidadã da Faculdade de Direito de Santa Maria (Fadisma), Eduardo Pazinato, os anos de 2016 e 2017, foram as piores épocas em termos de indicadores criminais do Rio Grande do Sul (RS). A queda que vem ocorrendo desde então, está associada a ações que foram tomadas nos últimos oito anos e que podem estar por trás desta redução.

Denúncia leva à captura de autor de furto em residência

Pazinato explica que as evidência científicas nacionais e internacionais, apontam que a redução dos crimes, dos delitos contra a propriedade, em especial os roubos e furtos a pedestres, a estabelecimento comerciais e a residências, possuem uma estreita interface com a atividade de policiamento ostensivo. Com base na identificação das casualidades para essa perpetuação desses delitos, acabam por gerar, a médio prazo, uma redução desse indicadores criminais. 

- As transferências de lideranças de facções criminais gaúchas para presídios federais, e o aprimoramento da governança integrada das políticas de segurança do Estado, um fenômeno que se verifica, pelo menos, nos últimos 12 anos, acaba por contribuir para a redução desses números, e para uma sensação de maior segurança na cidade de Santa Maria - conta Pazinato.

MAIS SEGURANÇA
Saber que a segurança da cidade é um dever de todos, é a maneira que o presidente da Associação Camobi Segura, Adriano Deglioumini de Oliveira, vê como uma forma de contribuição para os resultados positivos juntos as forças de segurança pública de Santa Maria.

Cachorra é resgatada de casa em chamas no Bairro Cerrito

Para Adriano, a associação se coloca como uma possibilidade a mais para ajudar e apoiar os órgãos de segurança. Conforme ele, o maior ganho é ouvir dos comerciantes e moradores sobre a sensação de segurança que hoje as pessoas tem no bairro. O que hoje é o resultado da integração da sociedade junto a segurança pública.  

- Para nós é gratificante, esse é um trabalho coletivo que fizemos para apoiar e contribuir para que os resultados sejam cada vez melhores. - explica Oliveira. 

CIOSP REFORÇOU O TRABALHO POLICIAL
Em 2020, Santa Maria ganhou o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), o que integrou com mais recursos tecnológicos os efetivos de segurança da cidade. As imagens das mais de 800 câmeras espalhadas por pontos estratégicos, contribuem para que policiais, tanto civis quanto militares, trabalhem na elucidação do crime, mas ainda com mais importância, na prevenção dos delitos. 

Para o delegado Sandro Meinerz, todo o trabalho está sendo feito para que os índices sigam em queda neste ano. Com todos os avanços tecnológicos, e mais integração entre os órgãos, as boas práticas que trouxeram esses resultados irão ser repetidas em 2021:

-  Tudo aquilo que nós fizemos, utilizamos e buscamos realizar no ano passado, e que foi de sucesso e alcançou os resultados desejados, senão integral, mas parcialmente, nós estaremos utilizando novamente. Naquilo que nós verificarmos que precisamos avançar ou mudar estratégias, nós também estaremos fazendo. 

Após efetuar disparos, adolescente é apreendido em Santa Maria

Também em relação ao policiamento deste ano, o comandante do 1º RPMon conta que a Brigada Militar vai seguir implementando operações e novos programas, que em razão da pandemia não foi possível ampliar em 2020.

O Centro vai contar, ainda no primeiro semestre do ano, com a ampliação da Bike Patrulha - policiamento com bicicletas - que já existe no Bairro Camobi há mais de um ano. Com o objetivo de aproximar a comunidade da BM, o projeto também visa ter mais diálogo com os comerciantes e contribuir para que a queda de roubos a estabelecimentos comerciais siga em queda. 

- Nós também teremos uma ampliação da Rocam (Ronda Ostensiva com o Apoio de Motocicletas), que é um policiamento que traz mais mobilidade no trânsito, versatilidade e agilidade. Então, para 2021, nós vamos utilizar metodologias estratégicas, ferramentas do programa Avante para dar continuidade ao trabalho desenvolvido no ano passado e trazer cada vez mais segurança para a comunidade - conclui Bastianello. 

Internet

wpp.png