na terra, no fogo e na água

VÍDEO: no Dia do Bombeiro, conheça a rotina dos profissionais que salvam vidas

Para celebrar o 2 de julho, as atividades que envolviam a comunidade, em um dia no quartel, precisaram ser adaptadas em lives e treinamentos online devido à pandemia

18.429

Foto: Pedro Piegas (Diário)

Neste 2 de julho, comemora-se o Dia Nacional do Bombeiro. Uma profissão que vai além de combater incêndios, pois o bombeiro também atua em ocorrências como desabamentos, afogamentos, explosões, vazamentos, acidentes e demais eventos em que o patrimônio, as pessoas e a natureza estejam em perigo.

Os profissionais, chamados por muitos de super-heróis, não usam capa nem tem superpoderes. Diferentemente dos heróis do cinema, usam luvas, capacetes, botas e uma roupa que os protege e permite que ajudem a quem está precisando de socorro. Além disso, em vez de uma nave, eles chegam em um caminhão vermelho, com uma sirene que anuncia que a ajuda está a caminho.


Pelo segundo ano, os batalhões precisaram adaptar as comemorações da data devido à Covid-19. Antes da pandemia, o dia era marcado por uma série de atividades, que também envolviam a comunidade. Desde o ano passado, ficaram restritas ao ambiente online, com cursos e lives. Projetos em escolas e em comunidades em situação de vulnerabilidade também precisaram de uma leve pausa.

Conforme o comandante do 4° Batalhão de Bombeiro Militar (4° BBM), tenente-coronel José Carlos Sallet de Almeida e Silva, a atuação dos bombeiros é de suma importância:

- Atuamos nas emergências, no combate a incêndio, salvamentos, mas, principalmente, nossa principal atuação é na prevenção dos incêndios. Hoje, nosso carro-chefe é procurar para que as edificações tenham a sua prevenção em dia, e por consequência, não gerem incêndios.

O trabalho de bombeiro é muito mais que uma simples profissão. Para o 2° sargento do 4° BBM Renato Lauri Dutra Elgart Sobrinho, poder ajudar quem precisa e estar sempre se aperfeiçoando para contribuir, cada vez mais com a sociedade são tarefas muito gratificantes. Para o bombeiro, que atua desde 2003, a escolha da profissão se deu por gostar de altura, de água e pela paixão por viaturas.

- É muito gratificante, a gente vai sempre com o objetivo de salvar as pessoas, auxiliar nos momentos mais difíceis que elas estão passando - revela. 

Foto; Fabrício Minussi (arquivo / Diário)

O DIA A DIA
Conforme o tenente-coronel Sallet, a rotina do bombeiro é dividida em guarnições de serviço, de prevenção a incêndios e administrativos com uma escala de 24 horas. Durante o serviço, o profissional fica no quartel, saindo apenas quando a equipe é acionada para prestar socorro.

Há pouco mais de um mês, a linha telefônica 153 do Corpo de Bombeiros foi transferida para o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). A instituição se soma no local junto à Brigada Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal, Coordenadoria Municipal de Trânsito Urbano (CMTU) e Defesa Civil que já atuam diretamente no centro.

- Estar no Ciosp nos conferiu uma agilidade maior ainda para o atendimento de ocorrências. Com o cercamento eletrônico, muitas vezes, nós não precisamos esperar o chamado pelo 193, a ocorrências são flagradas pelas câmeras e atuarmos sem a necessidade do chamamento. O que poupa tempo e faz com que as pessoas ganhem essa agilidade - explica Sallet.

As viaturas operacionais dos bombeiros também passaram a ter equipamentos de GPS, que permitem a localização dos veículos em tempo real pelos servidores. 

Foto: Pedro Piegas (Diário)

ATUAÇÃO
Nos seis primeiros meses deste ano, o 4° BBM que abrange 33 cidades do Estado e tem sua sede em Santa Maria, já atendeu mais de 2.290 mil chamados. Ao todo, foram 709 combate a incêndios, dois atendimentos relacionados a produtos perigosos, 818 atendimentos pré-hospitalares, 340 buscas e resgates e 423 ações preventivas. 

AÇÕES
Antes da pandemia, ações eram desenvolvidas pelos bombeiros em todo o Estado, como o Bombeiro Mirim e o Bombeiro na Escola. No ano de 219, quando o Bombeiro Mirim chegou a sua 16° edição, foi o primeiro ano em que o 4° BBM conseguiu levar o projeto para todos os quartéis dos 33 municípios abrangidos. Cenário que não pode ser repetido em 2020 nem em 2021, mas que deve ser retomado com o fim da pandemia. 

Bombeiro Mirim
Projeto realizado dentro dos quartéis com turmas de 20 crianças. O programa tem o objetivo capacitar estudantes do 4º ano do ensino fundamental das escolas públicas e particulares para agirem de maneira preventiva em situações de riscos de acidentes e contribuir para uma sociedade mais segura, além de envolver as famílias na consolidação dos princípios e valores éticos. 

Bombeiro na Escola
O Projeto Bombeiro na Escola tem como objetivo principal a transmissão de informações educativo e social, tendo a finalidade de promover a integração entre o Corpo de Bombeiros Militar, a escola, a família e a comunidade. Neste projeto, os bombeiros vão até as escolas e ensinam aos jovens a cultura da prevenção e da responsabilidade social, proporcionando conhecimentos referentes à prevenção e combate a incêndio, primeiros socorros, defesa civil, prevenção a acidentes domésticos e de trânsito, comportamento em meio aquático e erradicação das drogas. 

Internet

wpp.png