região

VÍDEO: em 45 dias, 23 pessoas envolvidas em briga de facções são presas em Restinga Sêca

Nesta sexta-feira, Operação Opressores prendeu mais três pessoas ligadas aos grupos de tráfico de drogas

Foto: Maurício Barbosa (Bei)

Atualizada às 20h45min de 20 de novembro

A sexta-feira começou com ações da Polícia Civil em combate ao tráfico de drogas e outros crimes relacionados com duas facções rivais em Restinga Sêca. Pela manhã, dois jovens, de 23 e 24 anos, e um homem, de 32, foram presos preventivamente na Operação Opressores, desencadeada pela Delegacia de Restinga Sêca. Outras duas pessoas foram presas em flagrante: um jovem, de 24 anos, pego com drogas em Restinga Sêca e mais um foragido, 29, que foi preso em São Sepé com drogas, dinheiro e balança de precisão.


A ação mira duas facções que têm núcleo na Região Metropolitana e que brigam pelo controle do tráfico de drogas no município e, desde 2018, são suspeitas de cometer seis assassinatos na cidade. Os crimes são tratados como execuções pela investigação. Nos últimos 45 dias, 23 pessoas envolvidas na disputa já foram presas.

De acordo com informações da delegada Elizabete Shimomura, além dos três mandados de prisão, foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão de celulares e drogas nos Bairros São Luis e Felin. Um dos jovens de 24 anos foi preso no Centro e o outro foi preso no Bairro São Luiz. Já o homem, de 32, no Bairro Bela Vista. O outro suspeito, de 23 anos, já estava preso no Presídio Estadual de Santiago, onde foi comunicado do novo mandado de prisão.

Homem é preso por manter a mãe em cárcere privado e agredir policiais

Conforme a delegada, a Operação Opressores começou ainda na quarta-feira, com o cumprimento de outros dois mandados de prisão de dois detentos das Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas e da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc). Esses dois presos são os dois gerentes dos grupos envolvidos, que comandavam o tráfico de dentro das prisões.

O ESTOPIM

A investigação da Polícia Civil começou em julho de 2018, depois do assassinato de uma testemunha relacionada ao tráfico e que teria delatado outros envolvidos na rede criminosa. Desde então, aconteceram outros cinco homicídios que a polícia considera serem relacionados à disputa de facções. Com os mandados de hoje, um total de 23 pessoas ligadas aos grupos criminosos já foram presas, incluído as da operação "Manos da Felin", que aconteceu em outubro.

- A operação de hoje é uma continuidade da investigação que vem sendo realizada pela nossa delegacia. Essas investigações se intensificaram nos últimos meses após as execuções de alguns traficantes e usuários de drogas da nossa cidade. Essa é uma resposta à sociedade e uma tentativa de estancar essas disputas que têm causado muitos crimes. Estamos dando um desfecho às ações destas organizações criminosas - afirma Elizabete.

Ainda de acordo com a delegada, os inquéritos relacionados à disputa das facções rivais devem ser concluídos nos próximos dias e remetidos à Justiça.

OS PRESOS

Os três presos na manhã desta sexta-feira em Restinga Sêca foram levados ao Presídio Estadual de Agudo. O jovem preso em São Sepé foi levado ao presídio do município. Outro envolvido na investigação já cumpria pena por outros crimes em Santiago.

De acordo com a investigação todos os 23 presos respondem por tráfico e associação ao tráfico. Três mulheres presas numa operação realizada dia 22 de outubro foram soltas e respondem inquérito em liberdade.

AS PRISÕES

Todas as prisões decretadas pela Justiça são preventivas. Com relação aos assassinatos, a Delegacia de Polícia de Restinga Sêca segue com a investigação.

O REFORÇO

Participaram da operação 25 policiais das delegacias de Restinga Sêca, Agudo, Pinhal Grande, Faxinal do Soturno e Dona Francisca, além da Brigada Militar e cães farejadores do 2º Batalhão de Choque de Santa Maria (2º BPChq).

A advogada dos presos na manhã desta sexta-feira, Carlas Verediane Alves, não quis comentar as prisões.


Internet

wpp.png