criminalidade

Suspeito de participar de resgate de detento é morto em confronto com a BM

O homem de 42 anos seria o último integrante do grupo que invadiu uma UPA em Caxias do Sul e deixou um agente penitenciário morto

18.429
Foto: Foto: Brigada Militar (divulgação)

Foto: Brigada Militar (divulgação)
Confronto entre o suspeito e os policiais teria acontecido pouco depois das 18h de quarta-feira

Um suspeito de participar do resgate de um detento em uma unidade de saúde, em Caxias do Sul, foi morto em confronto com a Brigada Militar (BM) no começo da noite de quarta-feira. Alex Aniceto dos Reis, 42 anos, seria o motorista do veículo visto no dia do ataque que terminou com a morte do agente penitenciário Clóvis Antônio Roman, 54 anos. O ataque foi planejado para resgatar o preso Guilherme Fernando Mendonça Huff, 29 anos, conhecido como Mig, que estava em atendimento na UPA.

Conforme a BM, Reis era o último integrante da organização criminosa que facilitou a fuga de Huff, que teria sido planejada há 15 dias. O homem, que estava armado, já vinha sendo monitorado pelo setor de inteligência do órgão policial. Reis reagiu à abordagem e foi baleado. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. 

Ainda na quarta-feira, Huff foi encontrado morto, em Porto Alegre. Teria sido ele o autor do disparo que matou o agente penitenciário. O detento era integrante de uma facção da Capital e foi localizado durante uma operação da Polícia Civil na Avenida Independência. Conforme a Polícia Civil, ele teria tirado a própria vida ao perceber a chegada dos agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP) de Caxias do Sul.

Mulher é presa por tráfico de drogas em São Gabriel

Durante o dia, outros cinco suspeitos de estarem envolvidos no ataque à unidade de saúde foram presos. Entre eles, três são suspeitos de terem invadido a unidade de saúde. Dois foram localizados em Porto Alegre, sendo que um deles no apartamento onde Huff foi encontrado morto e, o outro em um imóvel da Rua Santa Cecília. Já o terceiro homem foi capturado em Portão. A mulher de Huff foi detida em Três Cachoeiras. 

Em uma coletiva de imprensa na tarde de quarta, o comandante-geral da BM, coronel Vanius Cesar Santarosa, enfatizou que o trabalho integrado das forças da segurança pública é muito importante:

- Quando grupos criminosos tentam resgatar criminosos, é uma afronta ao sistema de segurança, mas a integração que existe entre os órgãos de segurança pública não vai permitir. Sempre vamos fazer uma resposta à altura da audácia que esses grupos criminosos promovem - explicou. 

Suspeito de furtos no Cemitério Municipal é detido em Santa Maria

O CRIME
O ataque à Unidade de Pronto- Atendimento 24 Horas Zona Norte aconteceu por volta das 3h30min de segunda-feira, quando um grupo de quatro agentes da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) fazia a escolta de Huff até o local, em Caxias do Sul. Ao chegar na UPA, um grupo de comparsas do presidiário atirou contra os agentes, matando Roman e ferindo outro servidor. Duas enfermeiras e um vigia da unidade de saúde também foram feridos. Com a reação dos agentes penitenciários, que revidaram os tiros, o plano de resgate de Huff foi abortado. Embora baleado, o preso consegui fugir. Conforme a ocorrência, teria sido Huff quem matou Ronan, depois de pegar a arma de outro agente penitenciário, de 42 anos, que havia sido baleado e estava caído no chão.

Internet

wpp.png