trânsito

Rodovias de Santa Maria têm aumento de mortes durante a pandemia

Em Santa Maria e na região, a BR-392 e a RSC-287 são as rodovias que mais registram acidentes

18.429
Foto: Foto: Polícia Rodoviária Federal (divulgação)

Foto: Polícia Rodoviária Federal (divulgação)
Em 18 de maio deste ano, mãe e filho de 53 e 15 anos morreram em um acidente na BR-392 em Santana da Boa Vista

O número de acidentes com morte nas rodovias de Santa Maria e da região aumentou durante a pandemia. Em um comparativo com 2019, os primeiros sete meses de 2020 tiveram 35% a mais vítimas fatais, enquanto, neste ano, o crescimento foi de 21%. Em contrapartida, o total de acidentes caiu.

De acordo com o comandante da 3ª Companhia de Polícia Rodoviária, capitão Gustavo Dubou, nos primeiros meses da pandemia, no ano passado, foi possível analisar um novo cenário que se instalou nas estradas. Com o baixo fluxo de veículos nas rodovias estaduais, devido às restrições impostas pela pandemia, a gravidade dos acidentes que aconteciam começou a aumentar. 

- A redução do fluxo fez com que as pessoas aumentassem a velocidade em que trafegavam, já que a maioria das estradas estavam mais vazias. A gente percebeu que o número de acidentes diminuiu, mas com a alta velocidade, os que aconteciam eram com muito mais gravidade, já que essa é a tendência - explica o capitão. 

Apesar de o número de mortes em rodovias estaduais ter sido menor em relação a 2019, a soma de vítimas, incluindo rodovias federais, elevou as estatísticas. Essa mesma análise do excesso de velocidade em rodovias mais livres de movimento também é feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Mas, há também, outros fatores que contribuíram para que o número de mortes nas estradas desse um salto, principalmente, de 2020 em relação a 2019. 

- As manobras de ultrapassagens em locais proibidos, somadas com as más condições dos veículos e as condições climáticas são fatores que percebemos em relação aos acidentes - afirma o chefe do Núcleo de Policiamento e Fiscalização da PRF em Santa Maria, Daniel Pozzobon. 

Em Santa Maria e na região, a BR-392 é a estrada federal que mais registra acidentes de trânsito. Já entre as estradas estaduais, a RSC-287 é a via considerada mais violenta. O que chama atenção em relação a este dado, é que nas duas rodovias o maior número de acidentes é registrado em perímetros urbanos. 

Veja um comparativo nos índices de acidentes dos últimos três anos nas rodovias estaduais e federais.


RODOVIAS ESTADUAIS

A RSC-287 liga o centro do Estado à Capital. De acordo com o 2º Batalhão Rodoviário da Brigada Militar (2º BRBM), os acidentes acontecem, na maioria das vezes, em perímetros urbanos devido ao grande movimento de pedestres e ciclistas. 

- Como essa rodovia passa por vários acessos de bairros, há um maior movimento de pedestres circulando - conta o capitão Gustavo.

A partir de 1º de setembro, a concessionária Rota de Santa Maria vai assumir 204 quilômetros da RSC-287, entre o trevo do aeroporto de Santa Maria até Tabaí. Com isso, a empresa vai fazer a manutenção da estrada, tapando buracos, consertando o acostamento precário e sinalizando a via. O que deverá contribuir com para a queda de acidentes.

Foto: Pedro Piegas (Diário)
RSC-287 é a rodovia estadual que mais registra acidente, conforme o Batalhão Rodoviário da Brigada Militar

Após perceber a dinâmica do aumento de velocidade nas estradas mais vazias no ano passado, o 2º BRBM intensificou as abordagens e fiscalizações em pontos específicos. No mesmo ritmo, neste ano os policiais rodoviários seguiram este trabalho, principalmente, nos locais onde há maior índice de acidentes. 

O que possibilitou uma maior eficácia deste trabalho, foi a troca de sede do batalhão, que em junho deste ano, saiu da Avenida João Luiz Pozzobon e foi para o km 231, da RSC-287, próximo à Ala 4, antiga Base Aérea.

- Onde estávamos instalados era um local municipal. Devido a isso, não podíamos atuar em frente ao quartel. Com a mudança, agora podemos atuar em frente à sede, tendo, principalmente, um ganho na operacional e ostensivo - informa o comandante.

Ao todo, o 2º BRBM abrange 12 rodovias estaduais são elas: ERS-509, ERS-511, ERS-149, VRS-804, VRS-805, BRS-287, RSC-287, ERS-524, ERS-516, ERS-348m VRS-803 e ERS-808. 

Veja os números específicos das rodovias estaduais no primeiro semestre dos últimos três anos. 

2019
- Total de acidentes -
70
- Acidentes com lesão - 64
- Acidentes com morte - 6

2020
- Total de acidentes - 64
- Acidentes com lesão - 60
- Acidentes com morte - 4

2021
- Total de acidentes - 62
- Acidentes com lesão - 57
- Acidentes com morte - 5

Foto: Pedro Piegas (Diário)
Já nas rodovias federais, a BR-392 é considerada a mais violenta

RODOVIAS FEDERAIS
A delegacia da PRF de Santa Maria abrange cinco rodovias, são elas: BR-158, BR-287, BR-392, BR-290 e BR-153. Conforme o policial rodoviário Daniel Pozzobon, a BR-392 é a estrada que mais tem números de acidentes. A BR-158 vem logo atrás, por ser a mais extensa rodovia que passa por perímetros urbanos, também é uma via com alto índice de acidentes. 

Em 2021, dos 12 acidentes com morte registrados pela PRF, em Santa Maria e na região, cinco envolviam motociclistas, que são as principais vítimas de no trânsito em áreas urbanas das estradas.

Para trabalhar na prevenção dos acidentes, a PRF tenta buscar relações entre esses fatos para identificar locais e horários onde eles têm maior possibilidade de acontecer. 

- Com estas informações, as equipes começam a trabalhar nos locais e horários estratégicos, afim de evitar que ocorram acidentes. Abordagens com o intuito de educação no trânsito também são realizados com esse objetivo - conta Pozzobon.

2019

- Total de acidentes - 234
- Acidentes com lesão - 54
- Acidentes com morte - 8

2020

- Total de acidentes - 162
- Acidentes com lesão - 39
- Acidentes com morte - 15

2021

- Total de acidentes - 208
- Acidentes com lesão - 67
- Acidentes com morte - 12

SEGURANÇA NO TRÂNSITO
Para evitar acidentes e fazer com que o número de mortes no trânsito diminua, a PRF e o 2º Batalhão Rodoviário da Brigada Militar reforçam quais os principais cuidados que devem ser tomados. 

- Respeitar os limites de velocidade

- Não ingerir bebida alcoólica antes de dirigir

- Manter distância de segurança em relação aos demais veículos

- Ultrapassar apenas quando houver plenas condições de segurança

- Não desviar a atenção do trânsito

- Mesmo antes de viagens curtas, fazer uma revisão preventiva do veículo, o que inclui a checagem dos pneus, do sistema de iluminação, dos equipamentos obrigatórios, do nível do óleo e do radiador, entre outros itens

CENTRO DE CONVÍVIO
Para o capitão Gustavo Dubou, o trânsito é um grande centro de convívio que as pessoas utilizam para chegar em diversos lugares. O excesso de velocidade demonstra a grande falta de paciência de cuidados que os motoristas têm no trânsito, o que, por muitas vezes, acaba com resultando em uma grande tragédia, que a perda de uma vida. 

De acordo com o doutor em Transportes, João Fortini Albano, a pandemia tem ensinado as pessoas a terem mais cuidados com a vida. Na visão dele, que também é professor aposentado, todos esses últimos acontecimentos relacionados à Covid-19, poderá deixar um legado de segurança para as pessoas. 

- As pessoas aprenderam durante a pandemia a terem esses cuidados. E, por que não ter esse cuidado também no trânsito? Eu tenho a impressão que os motoristas irão ter essa maior conscientização, que elas terão mais urbanidade e não se exponham tantos aos riscos - explica. 

É fato que as pessoas sempre dirigem com um segunda ou, até mesmo, terceira preocupação. Ainda conforme o doutor em Transportes, as pessoas sempre foram estressadas e nervosas no trânsito. 

- A ação da polícia tem que ser ostensiva, visível e severa. Eu acredito que assim, o número de acidentes possa diminuir. Porque se deixar por cota dos usuários nunca teremos um trânsito tranquilos. As pessoas têm mais medo da multa do que da morte.

Internet

wpp.png