trânsito

Motorista da região tem caminhão apedrejado na BR-392 no sul do Estado

Profissional de São Pedro do Sul viajava para Rio Grande, onde descarregaria a carga, quando veículo foi atingido por pedradas e pauladas

18.427


Foto: Arquivo pessoal (Divulgação)
Caminhoneiro trafegava pela BR-392 no município de Canguçu quando foi atingido por uma pedradas no para-brisa e foi obrigado a parar

Um motorista de 24 anos, natural de São Pedro do Sul, teve o caminhão atingido por pauladas e pedradas e acabou tendo o para-brisa quebrado na manhã desta quinta-feira. O caso aconteceu na BR-392, em Canguçu, na região sul do Estado. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) trabalhou para liberar o trânsito em três cidades da região e em pelo menos outros 15 trechos de rodovias federais do Estado.

Conforme o caminhoneiro Renato Weide, ele carregou o caminhão em Capão do Cipó na tarde de segunda-feira. Foi para casa, na véspera de feriado, e aguardou até a noite de quarta-feira, quando pegou a estrada rumo ao porto de Rio Grande. Weide trefegava pela BR-392, em Canguçu, quando teve o caminhão atingido por uma pedra. 

Trio é preso por envolvimento com tráfico de drogas em Rosário do Sul

- Está complicado. Ontem à noite, eu estava indo a Rio Grande e em Canguçu me mandaram parar e tocaram uma pedra no caminhão. Eu parei, e mandaram eu entrar no posto. Quando entrei, jogaram mais pedras e deram várias pauladas no veículo. O que tinham, eles tocaram. Hoje de manhã (quinta-feira) eles liberaram. Fui até Rio Grande, descarreguei e agora estou voltando. Teve gente que precisou voltar, mas alguns conseguiram passar. Tem pouca gente viajando. Mas por enquanto está tranquilo - diz o caminhoneiro. 

PAUTA
Entre as reivindicações dos manifestantes, está o voto impresso, que já foi rejeitado na Câmara dos Deputados. Além disso, eles também reivindicam a distinção dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), o que é considerado um ato inconstitucional. Mesmo após viralizar nas redes sociais um áudio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pedindo para que os caminhoneiros não trancassem as rodovias, os motoristas seguem mobilizados. 

BAIXA ADESÃO NA CIDADE
A possibilidade de bloqueios em estradas da região deixa a PRF em alerta nesta quinta-feira. De acordo com o chefe de operações da delegacia da PRF de Santa Maria, Daniel Pozzobon, a situação nas rodovias locais está tranquila na tarde desta quinta e não há manifestações de caminhoneiros. Porém, ele pede que, quem puder, adie a viagem como precaução.

Em Santa Maria, uma manifestação foi convocada para as 14h desta quinta-feira, no posto Buffon, na BR-392. Mas apenas oito pessoas foram ao local e nenhuma delas com caminhão. Até as 16h, a adesão à paralisação era fraca na cidade. 

- Em respeito ao Bolsonaro, estamos reunidos. Não é um momento de anarquia. Estamos unidos. Temos caminhoneiros aqui encostados nas margens do posto - disse o advogado Eloi Irigaray, um dos organizadores da manifestação.

A reportagem integrada do Diário e da Rádio CDN está no local. Até o momento, não há protestos nem bloqueios de pista na BR-392. Pela manhã, pelo menos três trechos de rodovias federais tiveram de ser liberados pela PRF.

Uma assembleia foi marcada para as 17h desta quinta-feira para definir os rumos das manifestações na cidade. 

Internet

wpp.png