profanação

Mais uma igreja é atacada por vândalos em Santa Maria

Portas da Catedral Metropolitana foram apedrejadas durante a madrugada deste sábado. Na quinta passada, o alvo foi a Igreja das Dores

18.428

Foto: padre Ênio Rigo (Divulgação)

Mais um templo religioso foi alvo de vandalismo em Santa Maria. O alvo da vez foi a Catedral Metropolitana, na Avenida Rio Branco, no centro da cidade. O prédio foi atacado com pedras e pedaços de tijolos durante a madrugada deste sábado. Na madrugada da última quinta-feira, um vândalo foi flagrado por câmeras de segurança atirando pedras contra as portas da Igreja das Dores, no Bairro Nossa Senhora das Dores. Nos dois casos, ninguém foi preso. Os dois ataques foram registrados na Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA) e são investigados pela Polícia Civil.

Suspeito de roubo é preso por tráfico em São Sepé

O ataque à Catedral Metropolitana foi descoberto na manhã deste sábado, pelo responsável pela paróquia, padre Ênio Rigo. Segundo ele, os três portas de entrada do templo foram danificadas por pedaços de pedras e tijolos que foram arremessados. Fezes e restos de comida também foram atirados contra a fachada da igreja. Também foram verificados sinais de tentativa de arrombamento do prédio.

- A gente não sabe o que aconteceu exatamente. Em dezembro, um homem invadiu a igreja com um paralelepípedo. Ele queria arremessar a pedra contra as paredes, vitrais e as pessoas que haviam participado da missa, pouco antes do meio-dia. Ele foi contido pelos fiéis que estavam no local, mas acabou fugindo. Estou registrando a ocorrência na Polícia Civil para que o caso seja investigado e o autor do ataque responsabilizado - disse o padre.

Homem é flagrado dirigindo carro clonado em Cruz Alta

De acordo com o religioso, as pedras usadas para danificar as portas ficaram na calçada em frente à igreja. O padre fotografou os objetos e anexou os registros à ocorrência policial. Imagens de câmeras de videomonitoramento estão sendo analisadas para tentar buscar o momento em que teria ocorrido o ataque. As gravações podem ajudar a identificar o autor do vandalismo e estabelecer, ou não, uma ligação com ato praticado contra a Igreja das Dores.

Foto: padre Ênio Rigo (Divulgação)

O delegado regional em exercício da Polícia Civil, Marcelo Arigoni, disse à reportagem do Bei que os dois ataques recentes a templos religiosos na cidade estão sendo investigados. Segundo ele, é preciso apurar se a intenção dos vândalos foi somente de provocar o dano, praticar furto ou até se existe algum indício de que os dois casos possam ter relação com crime de ódio ou intolerância religiosa.

Jovem baleado pelas costas no Bairro Salgado Filho morre no Husm

Arigoni lembra que os dois ataques, dependendo do que for apurado pelas investigações, podem ser enquadrados na Lei 208 do Código Penal Brasileiro, que diz: 

- Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso, pode ser passível de pena de detenção, de um mês a um ano, ou multa.

Os dois casos estão sendo investigados pela 1ª Delegacia de Polícia (DP), aos cuidados do delegado Carlos Alberto Dias Gonçalves.

Internet

wpp.png