norte do estado

Médica sequestrada em Erechim é resgatada com vida pela Polícia

Tamires Regina Gemelli da Silva Mignoni foi libertada do cativeiro no município de Cantagalo, 32km da cidade Laranjeiras do Sul (PR)

Foto: Foto: Polícia Civil (divulgação)

Foto: Polícia Civil (divulgação)

Na noite dessa quarta-feira, a Polícia Civil localizou o cativeiro e libertou a médica Tamires Regina Gemelli da Silva Mignoni, desaparecida desde a última sexta-feira. A médica foi sequestrada ao sair da Unidade Básica de Saúde, no Bairro Aldo Arioli, onde trabalhava em Erechim, região norte do Estado. A ação foi realizada em conjunto com as Polícias Civis de Santa Catarina e do Paraná, Polícia Rodoviária Federal e Brigada Militar,

Ela foi libertada do cativeiro no município de Cantagalo, região central do Paraná, cerca de 32 km de Laranjeiras do Sul (PR), cidade de origem da médica. Durante a operação policial, uma mulher e dois homens diretamente envolvidos no sequestro foram presos.

Motocicleta furtada há dois dias é encontrada em Rosário do Sul

A médica, encontrada bem e com saúde, chegou na residência de seu pai, prefeito de Laranjeiras do Sul (PR), na madrugada desta quinta-feira. 

Na manhã desta quinta-feira, informações a respeito do sequestro de Tamires foram repassadas em uma coletiva de imprensa. Segundo o diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais, Delegado Sander Cajal, os sequestradores realizaram contato com a família da vítima pedindo R$ 2 milhões pela sua libertação.

Conforme a Chefe de Polícia do RS, Delegada Nadine Tagliari Farias Anflor, não há indicativo que o crime tenha viés político pelo fato da vítima ser filha do prefeito de Laranjeiras do Sul

- As investigações continuam e essa hipótese não é descartada, mas tudo leva a crer que o objetivo era patrimonial, em obter esse valor de forma ilícita - afirmou.

Homem é detido por porte ilegal de arma de fogo em Santiago

Dentre os presos, está o vigilante de um banco de Laranjeiras (PR), que estava em licença saúde, além de um taxista que ajudou nos deslocamentos durante o sequestro. Já a mulher presa teria o papel de cuidar do cativeiro.

Investigações posteriores serão realizadas com o intuito de identificar outros indivíduos por suspeita de participação no sequestro.

Internet

wpp.png