investigação

Detento suspeito de matar agente penitenciário é encontrado morto na Capital

Cinco envolvidos no ataque à UPA de Caxias do Sul que deixou o agente Clóvis Antônio Roman morto foram presos

18.429

Foto: Polícia Civil (Divulgação)
No dia do crime, a polícia apreendeu três fuzis, uma espingarda, munição, colete, algemas e dois rádios comunicadores usados pela quadrilha

Foi encontrado morto, na manhã desta quarta-feira, em Porto Alegre, o foragido que teria matado o agente penitenciário Clóvis Antônio Roman, 54 anos, na madrugada de segunda-feira na Unidade de Pronto- Atendimento 24 Horas Zona Norte, em Caxias do Sul. Guilherme Fernando Mendonça Huff, 29 anos, conhecido como Mig, era integrante de uma facção da Capital e foi localizado durante uma operação da Polícia Civil na Avenida Independência.

Cinco suspeitos de estarem envolvidos no ataque à UPA foram presos. Entre os presos, três são suspeitos de terem  invadido a unidade de saúde. Dois foram localizados em Porto Alegre, sendo que um deles no apartamento onde Huff foi encontrado morto e, o outro em um imóvel da Rua Santa Cecília. Já o terceiro homem foi capturado em Portão. A mulher de Huff foi detida em Três Cachoeiras. As informações são do jornal Correio do Povo. 

Suspeitos de matar homem em Nova Palma são presos em Santa Maria

Conforme a Polícia Civil, Huff teria tirado a própria vida ao perceber a chegada dos agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP) de Caxias do Sul. O Instituto-Geral de Perícias foi acionado. 

O CRIME
O ataque aconteceu por volta das 3h30min, quando um grupo de quatro agentes da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) fez a escolta de  Huff, até a unidade de saúde em Caxias do Sul. Ao chegar no local, um grupo de comparsas do presidiário atirou contra os agentes, matando Roman e ferindo outro servidor. Duas enfermeiras e um vigia da UPA também foram feridos. Com a reação dos agentes penitenciários, que revidaram os tiros, o plano de resgate de Huff foi abortado. Embora baleado, o preso consegui fugir.

Juiz arquiva caso de criança que foi dada como morta no Husm

Conforme a ocorrência, teria sido Huff quem matou Ronan, depois de pegar a arma de outro agente penitenciário, de 42 anos, que havia sido baleado e estava caído no chão.

HOMENAGEM
Na tarde de segunda-feira, agentes das forças de segurança de todo o Estado fizeram um sirenaço para homenagear Roman. Em Santa Maria, três locais fizeram homenagens ao agente. Os atos foram realizados em frente à Delegacia Regional da Susepe, na Rua Professor Teixeira, na Penitenciária Estadual de Santa Maria (Pesm) e no Presídio Regional de Santa Maria (PRSM). Além de agentes da Susepe, também participaram da homenagem policiais da Brigada Militar (BM) e os bombeiros.

Internet

wpp.png