crime organizado

Ao menos 70% dos assassinatos em Santa Maria têm ligação com o tráfico

Em 2021, cidade já registra 35 homicídios. Segundo a Polícia Civil, maioria foi provocada pela disputa entre facções criminosas

18.427


Fotos: Maurício Barbosa
Moradores da Rua André da Rocha, no Bairro Salgado Filho, foram alvo de dois homicídios e de uma tentativa de homicídio em um intervalo de 11 dias  

Santa Maria registrou 35 homicídios até terça-feira e, segundo a Polícia Civil, pelo menos 70% deles estão ligados ao tráfico de drogas. Já a Brigada Militar (BM) credita mais de 90% dos assassinatos à ligação direta ou indireta ao crime organizado e ao comércio de entorpecentes.

Dívidas de drogas, disputa por pontos de tráfico e guerra entre facções são alguns desses motivos. A maioria das mortes, tem características de assassinatos cometidos por facções criminosas e apresentam muita brutalidade, pois as vítimas são mortas com vários tiros e requintes de crueldade. 

Em um intervalo de 11 dias, duas pessoas foram mortas e uma terceira foi gravemente ferida a tiros e está em recuperação. Duas delas, são da mesma família. Alzira da Silva Barbosa, 60 anos, foi morta a tiros às 8h de segunda-feira. O crime aconteceu na Rua André da Rocha na Vila Kennedy no Bairro Salgado Filho. A filha de Alzira, uma mulher de 33 anos foi vítima de uma tentativa de homicídio na madrugada do dia 27 de agosto. Ela levou pelo menos dois tiros e está em recuperação. O companheiro dela, Eduardo Machado da Rosa, 28 anos, foi baleado e morreu no local. 

Segundo o tenente-coronel Cleberson Braida Bastianello, comandante do 1º Regimento de Polícia Montada (1ºRPMon), 99,99 por cento dos crimes teriam relação com o tráfico de drogas e as vítimas possuem antecedentes criminais. A polícia investiga se investiga se os crimes teriam sido cometidos por membros de facções. Os casos estão sendo investigados pelos policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil. Conforme o delegado Gabriel Zanella, titular da DHPP, os policiais estão trabalhando intensamente para esclarecer os crimes. Segundo o delegado, o envolvimento com o tráfico das vítimas se aproxima dos noventa porcento.  

- A motivação dos dois referidos homicídios está relacionada ao tráfico ilícito de drogas. Estamos trabalhando para apontar a autoria destas execuções, que possuem indícios de terem sido praticadas a mando de facção criminosa. Por ora, mais dados não podem ser divulgados para não atrapalhar as investigações. Não chega a quase esse patamar, mas é muito próximo.Por vezes a motivação não está ligado diretamente ao tráfico de drogas, mas as vezes há desavenças, há rixas dos sistema prisional ligadas a facções criminosas que de uma forma ou de outra tem sim relação com o tráfico - diz Zanella.

O delegado Regional da Polícia Civil, Sandro Meinerz, também credita as mortes ao envolvimento com o tráfico de drogas e ressalta que o trabalho não pára.

- A polícia trabalha em duas frentes nessas questões. Uma é relativa a cada um dos fatos que aconteceram. Existem investigações que buscam esclarecer motivações, identificar os autores ou executores. Eventuais mandantes.Ou seja, o porque, como, de que maneira e quem é o responsável pelo que aconteceu. A outra frente, é o trabalho de inteligência, para tentar entender os fatos. Existe sim a vinculação com o tráfico de drogas. Essa questão tem sido o motivo em sessenta a setenta porcento de forma direta, e as vezes, indiretamente pega um dado incrementador nessa questão. - explica Meinerz.

CHEGADA DE FACÇÕES LEVA MEDO A MORADORES

Moradores que preferiram não se identificar, contaram à reportagem, que membros de uma facção teriam avisado que era para as vítimas deixarem o local, pois eles queriam as casas. A sensação de insegurança na região é sentida no dia-a-dia e principalmente a noite conta a pessoa. Durante o atendimento da ocorrência, enquanto os policiais estavam no local, familiares, vizinhos e amigos das vítimas ainda bastante chocados com o crime, falavam da situação. Uma mulher muito emocionada, chorava bastante em frente a casa e era amparada pelos familiares.  

 BRUTALIDADE NAS EXECUÇÕES É CARACTERÍSTICA DAS FACÇÕES

Três crimes chamaram muito a atenção da maneira como foram cometidos. Dois deles foram triplos homicídios. Um desses, além de matar mãe, e dois filhos, os criminosos colocaram fogo na casa das vítimas. Este foi o caso da morte de Daniela Medianeira dos Santos, 39 anos, Guilherme dos Santos Rodrigues, 15, Petryck dos Santos Oliveira, 4, mãe e filhos. Eles foram executados na madrugada de 20 de abril, na Rua 20, no Loteamento Dom Ivo Lorscheiter. 


Foto: Renan Mattos
Daniela dos Santos e os filhos Guilherme dos Santos Rodrigues e Petryck dos Santos Oliveira, de 4 anos foram mortos e a casa foi incendiada

Outro crime brutal foi registrado na noite de 23 de julho, quando dois jovens identificados como Adilson dos Santos, 22 anos, e Cléberson Conceição Sales Prestes, 18, foram amarrados, torturados e mortos com mais de 20 tiros. Os corpos foram encontrados em uma estrada nos fundos do Distrito Industrial. Prates já tinha antecedentes policiais por tráfico de drogas. Já Santos, não tinha passagens e estaria apenas fazendo uma corrida de carro para Prates. Ele teria sido morto por estar na hora errada, no lugar errado. 

Dupla foi encontrada em uma estrada nos fundos do Distrito Industrial amarrada e com mais de 20 tiros

Andressa e Maria Rodrigues, de 30 e 56 anos, filha e mãe, e Luciano Fernandes, 46 anos, foram mortos em uma residência na Rua Alfredo Assunção, por volta das 3h da madrugada de 1º de agosto, na Vila Jockey Club no Bairro Juscelino Kubitschek. Pelo menos duas das vítimas tinham antecedentes policiais por tráfico de drogas. 

Além desses crimes com mais de uma pessoa, outros assassinatos estão sendo investigados pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). É o caso do primeiro homicídio registrado em Santa Maria em 2021. João Vitor Costa Flores, de 19 anos, foi encontrado morto às margens da Estrada Eduardo Duarte, no Bairro Tomazzetti com pelo menos dois tiros.


João Vitor Costa Flores, 19 anos, foi morto a tiros e o corpo foi encontrado na Estrada Municipal Eduardo Duarte em janeiro 

Os crimes brutais não ficaram restritos a apenas uma ou duas regiões da cidade. Execuções foram registradas de norte a sul, de leste a oeste, mas segundo a polícia, mais de noventa porcento das vítimas tinham antecedentes. Outra vítima morta brutalmente, foi Fábio Fanfa Rodrigues, 21 anos, encontrado morto, com pelo menos um tiro na nuca, na Rua Virgílio Lorenzi na madrugada de 11 de abril. Outros assassinatos estão sendo investigados pela polícia e possuem as mesmas características violentas.

Internet

wpp.png